quinta-feira, 8 de maio de 2014

CONSELHO DA DEFESA CIVIL DE SAUDADES DECIDE POR DECRETAÇÃO DE ESTADO DE EMERGÊNCIA

Reunião do Conselho de Defesa Civil de Saudades
 decidiu pela decretação de estado de emergência,
em virtude das fortes chuvas da última semana
Na tarde de quarta-feira (08), o Conselho Municipal de Defesa Civil de Saudades esteve reunido, para discutir sobre o impacto das fortes chuvas que assolaram a região na última semana. Fizeram-se presentes, além dos conselheiros, o prefeito Daniel Kothe, vice-prefeito Osmar Prestes (Sadan), agente da defesa civil do município Pedro Heinzen, vereadores e secretários.
Conforme dados coletados pela defesa civil, o Rio Saudades esteve 6,20 metros acima do nível normal. Além disso, foi registrada uma precipitação pluviométrica que superou os 200 mm. As fortes chuvas causaram transtornos principalmente na quarta-feira (30), mas na quinta-feira, o Rio Chapecó teve seu volume de água elevado, provocando também transtornos a moradores e propriedades ribeirinhas.

O prefeito Daniel Kothe, que esteve visitando as áreas atingidas, relatou que os rios invadiram roças, açudes, danificando também estradas, pontes, pinguelas, tubulações, causando diversos prejuízos para agricultores e também para o poder público. “Para as propriedades, essas fortes chuvas causaram prejuízos nas plantações. Para o município, o prejuízo foi na destruição das vias já recuperadas. Mas graças às melhorias feitas nos primeiros meses do ano, foram evitados estragos ainda maiores, já que as sarjetas haviam sido abertas, assim como as tubulações, além das roçadas nas beiras da estrada, que contribuíram com o escoamento da água”, relatou.
Para o vice-prefeito Osmar Prestes, que também esteve visitando e verificando pontos de alagamento, o levantamento fotográfico é essencial para a decretação do estado de emergência. “Discutimos com o conselho e, por unanimidade, decidimos em fazer esse decreto”, frisou.
Uma das funções do conselho, segundo o prefeito Daniel, é a realização de um trabalho preventivo. “É importante ter isso organizado, para podermos montar uma estrutura para essas situações emergenciais”, destacou. Kothe destacou ainda o empenho e a ação da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, escolas do município (que liberaram os alunos), e toda a população saudadense que esteve ajudando.
Sobre o decreto de emergência, o prefeito explicou que o mesmo pode ser expedido em até dez dias após a situação. “O decreto de emergência é importante, tanto para o município buscar recursos de fora, como também, para os agricultores ou demais pessoas que precisam acionar o seguro. Isso serve como uma prova, justifica que houveram perdas com as fortes chuvas”, explicou Kothe.
Para o vice-prefeito Osmar, o decreto de emergência pode possibilitar a busca de recursos para desenvolver também ações de prevenção. “Isso pode nos auxiliar para conseguir resolver mais rapidamente problemas que são históricos no município, antecipando ações para evitar acidentes”, disse.
Além da decretação de estado de emergência, o prefeito Daniel explanou que já existem projetos em andamento, para melhorar a drenagem das águas, principalmente no perímetro urbano do município. “Temos projetos de drenagem previstos, por exemplo, nas ruas Padre Antônio Vieira e Alvorada, além de estarmos buscando recursos para a solução de outras situações”, concluiu Kothe.

Créditos: Iedo Zortéa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: O portal não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários publicados pelos seus usuários. Comentários ofensivos, que não tenham relação com o conteúdo da página ou que vão contra a lei serão removidos.