quinta-feira, 16 de julho de 2015

SAUDADES TEM 30% DA CIDADE ATINGIDA PELAS CHUVAS. PREJUÍZOS DEVEM CHEGAR Á R$ 50 MILHÕES DE REAIS

Nem o medidor do nível do Rio Saudades restou da enxurrada que atingiu o município na manhã de terça-feira. A água chegou a mais de três metros dentro da cidade, em virtude da junção das águas do rio Saudades, Tapuais e Bonito.

— Nós víamos passar casa, carro, árvore.. — lembrou o prefeito de Saudades
Equipamentos da Secretaria de Infraestrutura, como um distribuidor de adubo, foi levado pelo rio e ficou enroscados nas árvores. Ginásio, escola municipal, campo de futebol, tudo ficou alagado. Um caminhão foi parar no barranco do rio e outro teve a carroceria virada de ponta cabeça. Tinha carro no rio, carro tombado e um carro em cima do outro.

Na casa de Delvino Mahle uma mesa foi parar em cima de uma Figueira em frente de casa. Foram embora três freezers cheios de carne. O que a água não levou, ficou inutilizado.
— Tinha comprado um guardarroupa novo e desmanchou tudo — afirmou Mahle. Ele e a mulher, Lúcia Mahle, não estavam em casa na hora da enxurrada.
Na casa em frente, o operador de máquinas Marcelo Marschall foi levar o filho Bernardo consultar no hospital, pois estava com febre. Eram 7h30min da manhã. Logo depois a mulher, Mônica Brancher, chamou o marido de volta, pois estava começando a alagar. Eles tentaram erguer os móveis enquanto vizinhos ficavam com o bebê. No fim, tiveram que desistir.
— A água começou a passar da cintura então tivemos que sair — lembrou Mônica.
Ela só conseguiu salvar algumas mudas de roupa do bebê e fotos da formatura de ambos. Mas não deu para guardar outras lembranças, como do estágio na Alemanha.
— Muitas lembranças foram mas o importante é que estamos vivos — apontou Mônica, que tentava tirar o barro de casa com o auxílio de amigos, parentes e colegas do banco onde trabalha.
Gabriela Poltronieri, que trabalha numa fábrica de confecções, também contou com o auxílio de parentes para limpar a casa onde morava com o marido e os dois filhos, além de outra casa no mesmo terreno onde mora seu pai, que é cadeirante. Ela conseguiu salvar só os eletrodomésticos.
— Não deu meia hora e inundou tudo — lembrou, com lágrimas nos olhos. O nível da água passou do teto.
Prejuízos chegam aos R$ 50 milhões
Empresas como a Ceraçá e Finestra, ficaram inundadas. Os dois postos de combustíveis também. Os prejuízos podem chegar a R$ 50 milhões segundo estimativa preliminar da prefeitura de Saudade.

A prioridade agora é limpar a cidade, para que as pessoas possam voltar para suas casas, além de reestabelecer o abastecimento de água, já que os equipamentos de captação também foram danificados.

Cerca de 30% da área urbana do município, onde moram seis mil pessoas, foram atingidos. De acordo com o prefeito, pelo menos 1,5 mil pessoas foram atingidas pela enxurrada, que não se sabe se foi a maior, porque os medidores foram embora.

Fonte: DC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

IMPORTANTE: O portal não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários publicados pelos seus usuários. Comentários ofensivos, que não tenham relação com o conteúdo da página ou que vão contra a lei serão removidos.